sexta-feira, 10 de julho de 2009

Amor

Eu conseguia ouvir o coração dele. Essa sensação era incrivelmente reconfortante. Aquele coração era meu também ou eu não suspiraria aliviada a cada batida.

Amar é estranho. Você passa por tudo: chora, grita, briga, foge, esconde, luta... Para no fim ser de outra pessoa por inteiro. Você acaba se doando e recebendo tudo em troca, tudo?

Amar e ser amado é mais estranho ainda. É tão grande, tão dominador que deveria ser mais do que o suficiente, mas não é. Minha mãe diz que precisa de 'jogo de cintura', meu pai acha que paciência deveria bastar...

Amar [mutuamente] é crescer, é amadurecer, é entender, é chegar a um nível que sozinho, sem se importar com as batidas do coração de outra pessoa, seria impossível.

4 comentários:

Ma Lu disse...

acho que nunca amei mutuamente :S

________* Lil Andersen disse...

ando pessimista demais ultimamente sobre o amor pra fazer com comentário construitivo.....então..........prefiro dizer que estou com saudades!

Ligia Grabauskas disse...

Que post inspirado hein? =)
Também nunca senti isso... como tinha na Sorte de Hoje do Orkut outro dia: "Seja indispensável para alguém."

Beijoo! ^^

Renato Menezes disse...

Nunca é o suficiente. Sempre falta alguma coisa. Triste, mas é assim.